Pages

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Amadurecer



Cheguei à dura conclusão de que nunca estamos maduros. Isso não quer dizer que não nos sintamos maduros... Sim, nos sentimos maduros, até o minuto seguinte pelo menos... E nos sentimos maduros apenas para tropeçarmos em nossa falta de humildade no minuto seguinte...

Estamos sempre sob a manipulação de idéias, impostas externamente (na maioria das vezes de forma inconsciente e com a melhor das intenções)  por amigos, familiares, amantes... É tanto barulho, tanto ruído que é difícil ouvirmos o que a nossa própria voz fala... Então, simplesmente, deixamos que os outros nos levem, compramos o ideal e a idéia do outro, nos escoramos no que o outro pensa que é certo e assim não precisamos decidir, raciocinar, pois o outro deve saber mais do que eu.

Por isso, acho que o sinal de maturidade mais forte é saber que não existe o absolutamente certo e o absolutamente errado. Todos somos um amálgama de erros e acertos, todos que nos cercam, sem exceção, percorrem sua estrada, e essa estrada é tortuosa e ninguém sabe bem para onde vai levar ou se estamos no caminho certo.

Diante disso, o verdadeiro amadurecimento (será?) começa a despontar, devagarinho como o sol da manhã... E como o sol da manhã que ilumina os campos desintegrando a escuridão, a compreensão de que ninguém é perfeito e nem possui todas as respostas preenche a nossa consciência, desfazendo as decepções que temos com os outros diante de respostas incompletas ou incongruências.

É um processo muito difícil, que por termos sido durante toda a vida guiados, torna-se penoso e muitas vezes etéreo, sem substância, enfraquece. Volta e meia retornamos para o conforto da idéia do outro, como sendo  verdade que nos escapou e que, agora, nos salvará.

Certa feita alguém me disse que a estrada e o testemunho são solitários, e eu acho que é sim.... Afinal, o amadurecer é um caminho solitário.

3 comentários:

adriano disse...

amadurecer é saber que nunca estamos maduros suficientes. Sempre estaremos "correndo o risco" de sermos influenciados e tal.
O que é certo? O que é errado? Não existe nada absoluto, mas sim, pontos de vista sobre determinadas coisas.

Muito bom o texto.
Abraço

Lis. disse...

Sofrimento é o caminho mais comum que se pode ter. Basta ligar a TV para saber.

Perdemos as atrocidades de vista, mas a felicidade está sempre bem guardada nos tesouros pessoais.

A felicidade -contrária ao sofrimento- será sempre pessoal, intransferíel, e inacessível aos que jamais encontrarão seu rumo.

Vale a pena parar para pensar por qual motivo as estórias que recebemos prontas na infância trazem tantos dissabores para que no final terminem com o chavão: E assim foram felizes para sempre.

Os caminhos dos sonhos e das realizações que servem para um não serve exatamente para outro e vice-versa. Terá que buscá-lo sozinho, lembrando-se dos espinhos espalhados pelo caminho.

Saudações.

Conspiração Ideológica disse...

Adriano,
concordo, o certo e o errado é relativo mesmo... Temos uma tendência enrome em julgar pelos nossos parâmetros...

Lis,

Acho que escolhemos aprender pela dor pq. temos dificuldades em aprender com o amor... E toda experiência, como vc disse, é intransferível e, em geral a dor vêm para nos ensinar algo... Como é mesmo o nome daquela flor que só nasce no deserto?